MIS TLIF – MINIMAMENTE INVASIVO 

HOME  |  TRATAMENTOSMIS TLIF – MINIMAMENTE INVASIVO  

MIS TLIF – Minimamente invasivo 

Passo a passo da técnica para a MIS TLIF 

O paciente é posicionado em decúbito ventral, sob anestesia geral, em um suporte de coluna e uma mesa cirúrgica radiotransparente. Uma incisão de 2,5 cm de comprimento é realizada a uma distância de 4,5 cm da linha média. Dilatadores sequenciais são usados até a colocação de um tubo de 22 mm de diâmetro e profundidade apropriada para cada paciente, sobre o complexo facetário. 

A facetectomia total é realizada com uma broca de alta rotação para a exposição do aspecto póstero-lateral do disco intervertebral. A margem lateral do ligamento amarelo é ressecada para a exposição das raízes descendente e transeunte.  

Caso seja necessária uma descompressão mais ampla do canal central e das estruturas contralaterais, isso poderá ser obtido inclinando-se o tubo medialmente e realizando uma descompressão sublaminar monoportal bilateral. 

MIS TLIF – Minimamente invasivo-dr-Felipe-Figueiredo.jpg

cicatriz pequena pós-operatória – técnica de mis -tlif

A completa discectomia e a correta preparação das plataformas vertebrais são realizadas com o auxílio de curetas, raspas e dilatadores. O cuidado para a criação de um bom leito para a artrodese é fundamental e inerente à técnica escolhida pelo cirurgião.  

Enxerto autólogo de crista ilíaca é obtido percutaneamente pela utilização de uma trefina. O enxerto é colocado em quantidade adequada no espaço intersomático e dentro do espaçador. Foi utilizado um espaçador de PEEK autodistrator.  

A artrodese posterior do lado contralateral é realizada, o retrator tubular é retirado cuidadosamente, e qualquer sangramento da musculatura paravertebral pode ser controlado com o uso do cautério bipolar. 

A construção com parafusos pediculares percutâneos é, então, iniciada, utilizando-se uma agulha de Jamshidi para ter acesso ao pedículo, por meio de um trajeto de lateral para medial. É realizada a introdução de um fio guia, seguida de uma série de dilatadores tubulares.  

O tap é utilizado até a profundidade desejada do parafuso a ser escolhido. O parafuso multiaxial permite ao sistema a mensuração da haste lordótica a ser utilizada, esta é introduzida por um arco através de uma incisão proximal puntiforme. Todo o sistema é submetido à compressão para a estabilidade necessária.  

As feridas são suturadas com pontos intradérmicos. 

Para saber qual o melhor tratamento indicado para sua patologia, o paciente deve sempre procurar um médico especialista.